quinta-feira, 9 de maio de 2013

Sobre ser mãe de uma adolescente antes dos 30

Esse post foi um daqueles que a gente escreve e reescreve, guarda por um tempo, fica sem saber se vai publicar e acaba publicando (no caso, se você estiver lendo isso, ele obviamente foi publicado). Acho que é porque sempre acho difícil falar sobre essas coisas de maternidade, é um desafio que nunca acaba e pelo menos comigo é assim, acho que nunca sei o suficiente.

Uma hora você está lá dando graças que aprendeu a lidar com certas coisas, comportamentos e tudo mais e outra hora, outra fase completamente diferente já começa. Falo isso com meus 12 anos de experiência como mãe da Mari, a coisinha mais linda que a vida me deu logo cedo, aos 15 anos.

E a cara de criança? 
Não sou a única e tampouco a primeira mulher nesse mundo a passar pela situação de se tornar mãe de uma adolescente antes de completar 30 anos. 30 anos é aquela idade em que hoje em dia vejo as pessoas tomando a decisões como casar, ter a casa própria, viajar o mundo, tomar juízo, ter filhos (!) e tudo mais. Hoje, com quase 28 anos, essa é a idade na qual também estou tentando fazer algumas dessas coisas, porém com uma filha de 12 anos para cuidar. E eu, ingênua que só, achava que filho pequeno era que dava mais trabalho... 

Então, me tornei mãe aos quinze, quando ainda era uma criança, apesar de naquela época achar que era dona do meu nariz e que podia fazer o que tivesse vontade. A vida me mostrou de muitas formas que não é bem assim. Hoje posso até ser dona do meu nariz (e das coisinhas também), mas também tenho um narizinho de 12 anos para cuidar. Uma coisa que aprendi nesses anos todos, foi a cuidar de mim para cuidar bem da Mari. E olha, isso faz toda diferença!

Isso tem me exigido responsabilidade, paciência, disciplina, paciência, persistência, paciência, sabedoria e paciência! Como disse, ser mãe é um aprendizado e um desafio constante, não acho que seja mais fácil ou mais difícil por causa da idade. Problemas, desafios, todo mundo tem, certo? Conciliar nossos sonhos com nossas responsabilidades faz parte da vida de todo mundo.

O amor está incluso neste pacote como pré-requisito. Afinal, ser uma mãe jovem (como dizia uma coleguinha da Mari se referindo a mim) exige tanto quanto ser uma mãe adulta.

palhaças. sem o que fazer na hora do almoço.
Quando olho pra trás e vejo como foi minha vida nesses últimos 12 anos, tenho a consciência de que as coisas correram de uma forma até tranquila e como sempre, só tenho a agradecer pela família maravilhosa (e meio bagunçada) que tenho. A maternidade aos 15 anos é algo que a gente não aconselha pra ninguém, mas sabe que pode ser algo transformador na vida de quem tem o apoio, o que foi o meu caso. Eu era muito 'vida loka' e de certa forma, tomei jeito com isso hahaha desculpa, mãe. Mas acho que era assim que as coisas tinham que ser.

Hoje e em muitos momentos, ter uma criança em casa foi o que nos deu alegria e manteve a família unida. Passamos por fases difíceis, como quando meu irmão mais novo faleceu, mas ter a Mari ali todos os dias, cada dia mais linda e sapeca, enchia a casa alegria e a gente de força pra seguir em frente. 

Ah! E sabe essas inseguranças que muita mãe tem, de achar que nunca é boa o suficiente? Eu também  tenho. A gente erra, volta atrás, tenta consertar, dá um berro ali, outro aqui, erra outra vez, aprende, acerta, fica louca aqui, outra hora ali, persiste, e por aí vai... mas no fim a gente tenta fazer tudo ficar bem. E fica, ainda bem.

Nós. Maio de 2012
Com todos os desafios que essa idade da Mari traz, sempre achei ela uma menina muito madura. Não é porque é minha filha, mas tem horas que ela mesmo me pega de surpresa com as respostas, as atitudes e as opiniões que a gente espera de uma criança de 12 anos. E não acho que isso seja mérito meu, essas são daquelas coisas que já nascem com a gente, sabe?

E mesmo que muitas vezes a gente acabe batendo de frente, depois da trombada vem sempre um abraço, uma conversa e uma brincadeira (como não poderia deixar de ser). Conselhos, tanto de um lado quanto de outro, afinal a gente se escuta. Ou pelo menos tenta.
Nós. Dia desses.
Não tenho do que reclamar, essa vida sempre foi boa demais comigo e me deu tudo que eu queria mesmo sem eu saber o que exatamente era. Sou grata demais pela filha que tenho, pela família, pelo amor da minha vida e por todas as oportunidades que tive e continuo a ter.

Life is good!

P.s.: Se você leu até aqui, parabéns e obrigada :P

90 comentários:

  1. Eu li tudo e achei muito legal! haha
    Sua filha é liiiiinda, vocês parecem duas irmãs, eu queria ter um filho/a já grande assim, deve ser bem legal ir crescendo junto com eles né?
    ;*

    ResponderExcluir
  2. Zizi das coisinhas...descobri seu blog a pouco tempo e estou adorando e, hoje, mais ainda...me emocionei com seu texto!!! E acho ótimo isto, pq ainda me emociono com estas coisas da vida..do amor...Eu ao contrário de você tive meu filho com 32. Ele tem 13 e eu quase 46...Nas minhas conversas com Deus dizia: Se for um só que seja homem. E assim foi. Um menino, lindo, divertido, carinhoso e adolescente que muitas vezes cansa Ufa...é o meu lindo, que gosta de cozinha, ri das minhas manias de menina e companheiro para tudo. Eu queria ter tido 4 e ter me casado aos 20. Não rolou parceiro (rs) e apesar de todas as diferenças a vida se resume bem ao que você disse: A gente erra, tenta consertar, tropeça, acerta, pratica a paciência, explode, cata a paciência de novo...e como uma frase que gosto muito "tem medos bobos e coragens absurdas" no que se refere a mim, a ele e a nós, nesta vida!!! E a gente vive, um dia depois do outro, juntos, separados e misturados...agradecendo ao Divino!!!
    Beijo no coração.
    Feliz dia das mães para você
    e desculpa a falação

    ResponderExcluir
  3. que gracinha! Sorte da Mari a mãe que tem...rs

    ResponderExcluir
  4. Guria, vocês parecem irmãs!!
    Eu tive meu filho aos 25 anos! Hoje ele tem 3 anos! =D
    Um feliz dia das mães pra ti! Bjs

    http://peti--poa.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  5. Parabéns você pelo texto, poderia ser de uma mãe de 50 anos com 6 filhos e 2 netos. A profundidade e categoria com que vc trata isso é a mesma. Feliz Dia das Mães!

    ResponderExcluir
  6. Que post mais lindo, Zilah *-*


    Feliz dia das mães antecipado ♥

    ResponderExcluir
  7. Oi Zilá, que post lindo !!! Super me identifiquei com ele (como vc sabe também tive a minha aos 15 anos). Quando engravidei também me achava a dona da razão e adulta, vivia fazendo besteiras por ai (super revoltada), mas a vida me deu a minha Bela aos 15 anos e tive que amadurecer rapidamente. Lógico que vacilei várias vezes ..... afinal era uma adolescente e as vezes me comportava como qual, mas no geral analisando hoje (ela faz 11 anos no próximo mês) acho que fui bem. A Bela tem uma personalidade ótima e é muito mais que a minha única filha amada .... ela é a minha vida, minha amiga de todas as horas minha companheira. E como eu sempre falo p/ ela " vamos seguir sempre uma cuidando da outra." Aqui uma fotinho dela que como acontece com vc, todo mundo acha que somos irmãs !!! Feliz dia das mães

    ResponderExcluir
  8. Que lindo! Adorei a cumplicidade de vocês duas, coisa linda de se ver! :)
    E que filha linda você tem, parabéns!
    Beijão!

    ResponderExcluir
  9. Não consigo imaginar você "vida loka" com essa carinha fofa!! hehe
    Vocês são lindas e parecem ter uma amizade linda e isso é muito importante na relação mãe/filha!

    Beijos

    ResponderExcluir
  10. Não só li até o final, como chorei do início ao fim... Awn Mari, lindinha da titia!Zizi, sua mãe jovem linda! Amo vcs!

    ResponderExcluir
  11. Ah, Zilah, achei lindo esse texto! É tão bonito de ver essa relação entre vocês duas.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  12. Inspirador, sabia?! :) Coisa linda de se ler!
    E, cá entre nós, jura que é a Aninha ali de tererê, fazendo a ryca? Amei!
    <3

    ResponderExcluir
  13. Nossa, você e a Mari parece irmãs (semelhança além da sua aparência de menina).
    Muito bonito essa relação que você mantém com sua filha.
    Minha mãe também é minha amiga. <3

    ResponderExcluir
  14. Engraçado como são as coisas... Quando eu tinha 15 anos também me achava super madura! A maior de todas! Amadureci muito rápido, mas hoje vejo que tudo que eu achava com 15 anos, não passava de achismo mesmo! Nem hoje, com meus 24 anos não me considero madura. E nem quando eu tiver 60 não vou considerar. Talvez me considere pelas atitudes de uma pessoas que já passou por algumas coisas, mas não pelo que a vida ainda tem pra me mostrar. E curiosamente, quando entrei no seu blog pela primeira vez e comecei a fuçar, percebi que você tinha sido mãe bem jovem, não pelas palavras, mas por perceber mesmo.

    Minha irmã tem 15 anos... E hoje vejo como a gente é imatura e nem percebe. E olho pra ela com um senso de proteção tão grande e quando penso que ela pode fazer as mesmas coisas que eu fazia com 15 me dá uma raaaaiva! ahahahaha... Mas sem dúvidas, os erros que eu cometi no passado me fazem ser o que sou hoje. E ela também precisa errar pra aprender, escutando meus conselhos ou não.

    As coisas só foram um pouco mais rápido pra você, mas acho que existem vááááários pontos positivos com isso! E um deles é poder compartilhar ainda mais tempo da sua vida com a sua filhota!



    FELIZ DIA DAS MÃES, MÃE NOVINHA :D

    ResponderExcluir
  15. Texto lindo!!! Parabéns e feliz dia das mães!

    ResponderExcluir
  16. Ah Zilah que lindoo! Acho muito fofo você e a Mari!

    Beijos

    ResponderExcluir
  17. Realmente, a vida exigiu de você um rápido amadurecimento com a perda de um irmão e o nascimento de uma filha sendo tão nova...Mas como você disse, era pra acontecer! No fim você acabou ganhando uma grande amiga né?

    Feliz dia das mães e parabéns!

    ResponderExcluir
  18. Zilah, sou sua fã desde o primeiro dia que entrei aqui no seu blog ! Me inspirei dele pro meu casamento e desde então acompanho seus posts ! Esse texto fespcial de dia das mães ficou lindo, sincero, espontâneo e cheio de amor, carinho, ternura ... ingredientes (penso eu) essenciais para ser mãe ! Parabéns !!!

    ResponderExcluir
  19. Que lindas!! Ela tem o seu sorriso!
    Feliz dia das Mães!

    ResponderExcluir
  20. Lindo texto mesmo. Parabéns pelas palavras e por essa pessoa que tu és.

    Um lindo Dia das Mães pra ti!!
    Vocês realmente parecem irmãs.


    Bejinhos

    ResponderExcluir
  21. Vocês duas são lindas de viver!!!!

    ResponderExcluir
  22. Vocês são lindas!!!
    Também fui mãe muito cedo, com 19, e sei perfeitamente por tudo que passamos, mas hoje vejo que deu tudo certo, que foi na hora exata, e vendo meus filhotes com 16 e 14 anos, me sinto realizada.
    Beijos

    ResponderExcluir
  23. que lindas. e sua filha está uma moça (com doze anos)! ^^

    ResponderExcluir
  24. Ah Zilah, que post mais lindo!!!
    Sempre que venho aqui, procurando por coisinhas, leio algo que me enche de coisa boa. Loucura ou não, mas eu acho mesmo que energia (boa ou ruim) vem de qualquer lado e o Dona das Coisinhas tá cheeeio de coisa linda, de palavras, histórias e coisinhas! :)
    Muiiito amor pra você, pra sua família, pra Mari e pro seu noivinho!
    Aconteceu aos 15, aconteceu pra vida e foi a melhor coisa, né?
    Super beijo e Feliz Dia das Mães!!!

    ResponderExcluir
  25. Tb fui mãe bem cedo, aos 19. Hj meu filhote está com 13 e acabei de fazer uma histerectomia, por conta da endometriose que tenho. Se foi cedo d+ para ter filho? Não mesmo! Foi no tempo exato para todas essas mudanças que vc citou. E o melhor, se tivesse demorado mais 2 anos para tê-lo, não poderia mais ter filhos. Presente Deus!

    ResponderExcluir
  26. eu to aqui beirando os 35 e já deixando de lado a ideia de ser mãe... também penso no quanto minha vida teria sido diferente se eu assim fosse, aos 18, como eu tive vontade. Mas a verdade é que....não tem verdade. hahaha. Nada de filosofar numa manhã de sábado linda dessas. Vocês parecem irmãs, mas isso deve ser a frase mais ouvida. :)

    ResponderExcluir
  27. Que liiindas vocês! Confesso que tiveram algumas fotos que me perguntei quem é a mãe quem é a filha. rsrsrs
    Beijo

    ResponderExcluir
  28. Ahhh, que bom, Elisa! :D


    E foi exatamente isso que aconteceu, fomos crescendo juntas. Eu era muito imatura quando ela nasceu e acabou sendo um amadurecimento forçado, mas nem por isso ruim!


    Beijo!

    ResponderExcluir
  29. Oi, Cláudia! Jura que se emocionou *-* Eu também fiquei meio boba heheeh confesso.


    É exatamente isso. Acredito que tudo vem como tem que vir e que se a gente erra, o certo é voltar atrás e consertar. nunca desistir :)


    Beijão e espero que seu dia tenha sido bem feliz! Adorei a falação! :*

    ResponderExcluir
  30. Das vantagens de ser uma mãe jovem rsrsrs


    Espero que seu dia tenha sido bem feliz também!


    Beijos!

    ResponderExcluir
  31. Quando vi seu comentário no e-mail, não dava pra ver quem havia comentado. Juro que achei que era comentário da minha mãe, não fosse pelo erro de digitação do 2, que na verdade são 3 netos. Você acabou de descrever a Dona Maysa rsrs Muito obrigada, Edu!

    ResponderExcluir
  32. Oi, Flávia! Nossa história é mesmo muito parecida! E como você e sua princesinha são lindas :) Tenho certeza que aprendemos muito com nossos próprios erros e que também não mudaríamos um pontinho que fosse no nosso passado.


    Espero que seu dia tenha sido muito feliz também!


    Beijão!

    ResponderExcluir
  33. hahahahaha Ainda bem que hoje posso dizer "quem me viu, quem me vê!"


    Sem dúvidas essa amizade é a coisa mais linda que a gente construiu!


    Beijão, fofa!

    ResponderExcluir
  34. Você sempre chora, não vale! hahaha
    Também te amamos, Bels!

    ResponderExcluir
  35. Hahahaha rachei de rir com seu comentário! É a própria! kkkk


    Muito obrigada, Shantal :)

    ResponderExcluir
  36. Das vantagens de ser uma mãe jovem (2)
    É muito boa essa relação de amizade mesmo :)
    Beijos e obrigada!

    ResponderExcluir
  37. Coisas de adolescente, né, Stephany! Tem horas que minha irmã mais nova também me aluga como se eu fosse mãe dela hahaha é bom, mas tem horas que haja paciência hahaha


    Sem dúvidas os pontos positivos são infinitamente maiores. Aliás, teve algum ponto negativo? Acho que não :)


    Muito obrigada e um beijão!

    ResponderExcluir
  38. A vida não dea ponto sem nó, Aline :)


    Ganhei uma grande companheira que enche meus dias de alegria!


    Beijocas e muito obrigada!

    ResponderExcluir
  39. Muito obrigada, Iara! Você é uma linda :)


    Beijos e muito obrigada!

    ResponderExcluir
  40. Tem até mais! rsrs Mas ela nem sempre gosta de admitir!


    Muito obrigada!

    ResponderExcluir
  41. Com certeza olha, Karen! Você é uma linda, guerreira e merece toda felicidade! Mesmo no começo, já dá pra ver que esse amor todo vai longe.


    Beijão e espero que seu dia tenha sido lindo!

    ResponderExcluir
  42. Ah, que legal! E ainda teve dois!


    Espero que tenha tido um dia lindo!


    Beijo, Jack!

    ResponderExcluir
  43. ahhh, muito obrigada Aline!


    Você sempre linda e carinhosa! Sabe que já reconheço seus comentários quando chega por e-mail? (não aprece quem postou por lá) Sempre cheia de palavras lindas e energia boa.
    Muito obrigada, viu? Pode ter certeza que foi!


    :*

    ResponderExcluir
  44. Isso mesmo, florzinha!


    Muito obrigada :)

    ResponderExcluir
  45. Como já disse e repito: A vida não dá ponto sem nó! E que bom que hoje você tem seu filhão aí com você :) Que vocês sejam sempre muito felizes!


    beijo!

    ResponderExcluir
  46. Ahhh, as coisas são como têm que ser. Nada de chorar pelo leite derramado... às vezes foi melhor assim. O importante é ser e estar feliz!


    E sim, essa é uma das frases que eu mais ouço hahaha

    ResponderExcluir
  47. hahahaaha Desse jeito, Rayani! A moça tá quase maior que eu!


    :*

    ResponderExcluir
  48. Li esse post logo que você postou, mas só agora tive tempo de voltar pra comentar. Acabei relendo e me emocioonei muito, nem sei pq hahaha! Mas sou meio boba pra declarações. Enfim, cada um tem sua história, e apesar da barra que deve ter sido, conhecendo o pouco da mari que conheço pelo que a aninha fala, sei que você conseguiu vencer todos os desafios :)
    Bjs, feliz dia das mães atrasado!

    ResponderExcluir
  49. Que post lindo, Zilah! Me deu vontade de ir lá embaixo dar um abracinho na minha mãe. ♥ Você deve escutar isso o tempo todo, mas vocês parecem irmãs! A Mari é linda e você também.

    beijo grande!
    Ju
    www.temnomeuquintal.com/

    ResponderExcluir
  50. Minha mãe me teve com 19 anos e sempre fomos super unidas. Acho que a pouca diferença de idade evita um choque de geração muito grande... hehe. Parabéns às duas, são lindas e ainda viverão muitos bons momentos juntas! :-D

    ResponderExcluir
  51. parabéns pra vocês duas, por tanta amizade, companheirismo e amor!
    toda a felicidade do mundo pra vocês!
    bjssss

    ResponderExcluir
  52. Oi Zizi, acabo de me identificar ainda mais com vc, tb fui mãe aos 15 anos, hoje tenho 32 e minha filha 17 e exatamente no dia do seu niver de 15 anos peguei o resultado que estava grávida da minha pequena hoje com 1 ano e 7 meses, ser ma~e cedo me fez ser o que eu achava que era adulta, antes do tempo o que foi vantajoso por um lado e menos por outro, mas assim como vc a minha família fez toda diferença e eu amo ser mãe.


    bjs


    Gélia

    ResponderExcluir
  53. ELA È SUA FILHA? não pode ser, meo você parecem 2 irmãs adolescentes!! Que lindas!Deve ser muito boa essa convivência entre vocês devido as idades e a tua experiencia de ser mãe cedo. Sua fila é linda

    Beijos

    ResponderExcluir
  54. Zilah, sou apaixonada por esse post. Voltei só hoje pra comentar porque me surgiu uma dúvida: como você fez pra cursar a faculdade? Me peguei pensando nisso hoje (tô naquelas épocas em que a gente atrasa dois dias e já começa a achar que tá grávida) e aí resolvi perguntar pra ti, que passou por essa experiência de ser uma mãe jovem e hoje tá aí, toda gata e contente, com essa filha lindona! Me conta? kkkk um beijo!

    ResponderExcluir
  55. Nat, sua linda <3

    Obrigada, querida!


    Beijão!

    ResponderExcluir
  56. Ownn :)


    Escuto mesmo! Muito obrigada, Ju!


    Beijos!

    ResponderExcluir
  57. Se por um lado evita o choque, acho que por outro tem um choque maior. Porque tem hora que a gente briga que nem adolescente, irmã hahaha


    Muito obrigada :)

    ResponderExcluir
  58. Nossa, que legal isso, Gelia!
    Família faz mesmo toda diferença nessas horas :)


    Parabéns pra você e pra suas duas filhotas!


    Beijos!

    ResponderExcluir
  59. hahaah, é sim! Muito obrigada, Lila! :)


    Beijo!

    ResponderExcluir
  60. Oi, Isabela! Que bom que gostou! Eu estava mesmo pensando em dar continuidade a ele e falar sobre essa coisa da faculdade, viagens e saídas com amigos enquanto é mãe.


    Como disse, minha família sempre me ajudou muito e foi isso que possibilitou que eu fizesse minha faculdade e tivesse uma vida, digamos assim, normal. :)


    Beijão!

    ResponderExcluir
  61. Sua filha é tão linda quanto você e eu me surpreendi de ela já ser tão grande, olhando assim pra você achava que ela devia ter uns 3 anos, no máximo. Não te daria mais que 22 anos. A vida dá oportunidades pra que sejamos melhores e acredito que no seu caso foi ter essa princesa num momento oportuno, ainda que diferente do tempo "normal". E vocês duas se deram muito bem no final das contas.

    ResponderExcluir
  62. Quee linda a história e as duas, rs. Incrível como que na última foto, ela tem a mesma carinha que nas primeiras *--*

    ResponderExcluir
  63. Amei seu Blog, amei sua história..Parabéns! Eu fui mãe aos 30 anos, planejei e engravidei aos 29...Meu filhote hoje tem 1 ano e 7 meses e estou com 32 anos. Independente da idade ser mãe amadurece, ser mãe nos mostra que o nosso coração bate mesmo é do lado de fora, nosso coração passa a ser nossos filhos!!! Bjs

    ResponderExcluir
  64. Oi! Acabei de te conhecer, por uma feliz coincidência, através de uma marcação que o Edu do Blog Homens da Casa (cujo trabalho AMO e sempre encontro inspirações) fez de você.
    Me identifiquei com a sua história e enquanto lia, parecia que você descrevia os meus sentimentos. Fui mãe aos 17 e na próxima segunda (05/08) minha filha completa 12 anos. Também superamos todos os obstáculos (que nunca foram poucos) e hoje desfrutamos de uma imensa cumplicidade. Somos amigas, trocamos segredos, confidências e batons!
    Parabéns pela sua história e pela forma como a descreveu, é realmente emocionante.
    Estarei por aqui bisbilhotando suas artes.
    Um beijo!

    ResponderExcluir
  65. Oi, Marcela! é um desafio constante, acredito que assim é ser mãe independente da idade! Mas a gente passa algumas dificuldades que depois acabam virando história para contar, ainda bem!Mas ainda bem, nos damos muito bem :) Apesar de toda dor de cabeça hahaha


    Beijos!

    ResponderExcluir
  66. Oi, Fernanda! com certeza, tudo vale a pena :)


    Beijinhos!

    ResponderExcluir
  67. hahahaha pois é! Isso é bem comum de acontecer comigo! Às vezes acham que tenho 18 anos ainda e quando vêem a Mari, se assustam!


    Com certeza, foi tudo no tempo e para dar certo :) Beijinhos!

    ResponderExcluir
  68. Eu não tinha reparado tanto nisso e é bem verdade, viu? hahaha

    ResponderExcluir
  69. Mãe não tem idade, isso que eu aprendi. É sempre um amor lindo e incondicional :)

    ResponderExcluir
  70. Oi, Margareth!


    Hoje então é o niver da sua pequena! Parabéns pra ela :D Legal encontrar gente com a história de vida parecida e que sabe bem do que estou falando!


    Muita felicidade para vocês duas!


    Beijos!

    ResponderExcluir
  71. Não tem idade e nem manual de instruções rs...esqueci de citar minha irmã que tem a Nick de 13 anos e está com 30 anos. Demos muito apoio pra Dri, na época ela era bem magrinha,pequena, era a frágil da familia, e quando a Nick nasceu ela mostrou tanta força que surpreendeu a todos.Ser mãe transforma nossa vida.
    Eu estou tendo uma nova chance no amor e vou me casar novamente...e já penso em um irmão ou irmãzinha pro Natan rs!!

    Ah ...você é muito atenciosa!

    bjs

    ResponderExcluir
  72. Zilah, que post mais lindo. Na verdade, comigo é o contrário. Minha mãe me teve muito tarde, o que acaba prejudicando um pouco a nossa relação. Somos "apenas" mãe-e-filha, quando poderíamos ser bem mais que isso, mas a diferença de idade, época e cabeça não nos ajuda. Não tenho o que reclamar da minha criação e/ou educação, ela sempre me deu tudo e eu a amo muito. Mas veja o tamanho do pote de ouro que você tem nas mãos por ser mãe-amiga da sua filha (li seu ultimo post das 15 coisas e por causa dele cheguei nesse aqui), isso a idade ajudou muito. Você é linda, sua filha é linda e aproveitem muito todas as coisinhas que vocês tem ao redor... Fico bastante feliz em ver relações assim :) Parabéns!

    ResponderExcluir
  73. Que lindas! e que lindo post, sou uma das muitas que se identificou com ele, tenho 19 anos e um lindo príncipe de 6 meses apenas, e foram necessárias tantas lágrimas até eu entender que ser mãe não é esse bicho de 7 cabeças tão grande não! Claro que da um senso de responsabilidade enorme, mas vale tão a pena né? Parabéns

    ResponderExcluir
  74. Fui consolada pelo seu post. Tantas perguntas respondidas, tantos pensamentos compreendidos. Desde já agradeço por compartilhar sua experiência e história de mãe adolescente. Assim como vc fui mãe aos 16 anos, qdo ainda estudava o 2º ano do ensino médio. Tive apoio tanto de amigas, da escola quanto da família. E mesmo assim não foi fácil. Avós que cuidaram da minha filha enquanto eu terminava meus estudos, dpois 1 ano sem estudar e logo dpois uma faculdade. Claro que com o apoio do marido e a ajuda de mãe e sogra. E ainda assim sacrifícios e renúncias precisaram serem feitos. Hoje tem 3 anos que me formei, tenho 25 anos e minha filha tem 9 anos. E até ler este post eu me perguntava se fui uma boa mãe e se ainda estou sendo. Essa insegurança que imaginava somente eu a possuir (rsrs) foi desfeita no momento em que li esse post. Agradeço mais uma vez por essa divisão de experiência. A minha filha ainda não é uma adolescente, mas já começamos a bater de frente, poucas vezes, uma com a outra. (Minha mãe diz que parecemos 2 irmãs discutindo hehehe) E sempre terminamos num pedido de desculpas, numa conversa, num abraço e em uma declaração rss A minha história ainda está sendo construída e espero chegar aos 28 anos assim como você e sua filha =) Ah cheguei aqui através do instagram.
    Beijos e Deus abençõe sua família!!

    ResponderExcluir
  75. Olá!! Amei ler seu post. Ou melhor, amei seu blog, que inclusive, descobri hoje. Parabéns!! Por ser uma pessoa lutadora, e que acredita em seus sonhos! Deus te abençoe sempre! ;) abraços

    ResponderExcluir
  76. Acho muito legal essa parceria, essa amizade de mãe e filha, não importa em qual idade. Minha mãe me teve um pouco tarde, a diferença é de 30 anos, mas nada é maior que esse companheirismo. Espero que seja sempre assim, pra vocês aí e pra nós aqui! Porque isso sim é fundamental... o resto a gente conquista!

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...